Parto

Parto Domiciliar Alana

É incrível como hoje, exatamente 4 meses após o parto da Alana, eu ainda tenho um contato muito carinhoso com a família!

Conheci a Patrícia numa dessas rodas de conversa que eu amo participar...quando estávamos já a espera do elevador para ir embora ela pediu meu contato, eu dei e os dias se passaram...não lembro quantos, até que a Pati me chamou no zap, no dia 11/12/2017.

A Patrícia já tem uma filha de 8 anos, uma menina superesperta e com muito mais bagagem nesse assunto “parto humanizado” do que muitas de nós! Brinquei que ela seria minha doulinha no futuro, será?!! Rsrs

Bom, a partir desse dia ficamos mais próximas e sempre trocávamos ideias, mesmo ela ainda não tendo fechado... até que ela me informa que a Alana não está cefálica e se continuasse assim não poderia ter seu parto domiciliar conforme ela tinha planejado.

Eu dei algumas dicas porque vou vivendo muita coisa né, ouvindo daqui, lendo dali, comentei sobre ir no Maria Amélia pois lá tem uma dra que faz VCE, mandei relatos de bebe que virou 2 dias antes do nascimento, falei de acupuntura e assim fomos levando.

A equipe era a Bem Parir, eu já fiz um outro PD com elas e frequento, sempre que posso, as rodas de conversa que elas fazem, eu sabia que ela estaria bem assistida, as meninas são um amor <3

30/12 - faltando 8 dias para a DPP estávamos começando a falar em fechar as fotos e vídeo desse grande dia...

Virou o ano, eu entrei no grupo da equipe, afinal qualquer informação adicional eu já estaria ligada no assunto!

Domingo, dia 14/01 - Patrícia estava em pródromos, as meninas foram até ela, acompanharam durante algum tempo... Ainda não é hoje...não seria naquele dia.

O corpo da mulher é sábio e cada um tem seu tempo! Faz parte do processo saber esperar e conduzir tudo da maneira mais confortável e segura possível.

A partir daí as meninas foram praticamente se revezando, pois, gestante se sente mais confortável na presença de profissionais que possam certifica-las de que está tudo bem etc.

As conversas no grupo foram diminuindo, pois sempre tinha alguém lá com ela e apesar de elas não terem me falado que estava na hora, eu senti, meio que como um instinto que deveria ir acompanhar um pouquinho a família durante o trabalho de parto.

Madrugada do dia 15 para 16/01 cheguei, aquele escurinho....entre dores, resmungos baixinhos, técnicas de massagem, atenção do papai, tentativas de sonecas....o dia amanheceu e tudo continuou na mesma, sem uma evolução mais forte.

Voltei pra casa. Passei o dia na expectativa, basicamente sem notícias (meu coração não sei como aguenta kkk)

Até que por volta de 23:30/00hs a Dani, enfermeira obstetra da equipe me gritaaaaaaaa rsrs “Corre Márcia pois ela já está com puxos!!!”

Meu Pai Amado, rsrs corro, voo, pedalo, sei la mais o que.

Quando chego ambiente calmo, luz tranquila, todos à disposição, Patrícia na banheira já fazendo força! A irmã, Ana Julia, linda! Aguardando o tão sonhado momento de conhecer a irmãzinha....

Alana nasceu em menos de 40 min da minha chegada, direto pros braços da mãe, recebendo calor, carinho, aconchego, entre sorrisos, abraços, choros de alegria! Ela chegou!

Cercada de carinho, amor e proteção. A Ju viu a irmã chegar diante dos seus olhos! Eu chorei! Que coisa mais linda essa “coisa” de família gente, mas ela correu para o seu quarto, foi chorar sozinha! E de repente aquela menina cheia de conhecimentos precisou de alguns segundos para retornar e abraçar seus pais, sua irmã.

Ufa que bom que meu instinto pediu que eu fosse até lá na noite anterior, assim consegui registrar realmente todas as etapas do processo, antes, durante e depois!

Os primeiros cuidados foram ali no colinho da mamãe, sempre com muita delicadeza e calma.

O cordão só foi cortado depois que parou de pulsar...

Depois de muito mamar, vestimos a roupinha, mamãe foi tomar um banho, é hora de deixá-los descansar....

Ps e não é que Alana veio cópia da irmã!

Amor que transcende!

Depois de alguns dias recebi o convite para tomar um café (café da plantação da família, magnifico! rs) e participar da pintura da placenta que as meninas da equipe fariam, e vivi mais uma experiência linda na minha vida.

Placenta a arvore da vida!

Cada parto que vivo, uma experiência nova, mais amor no que faço.

Obrigada família linda por me permitirem viver tudo isso com vocês!

Equipe PD – Bem Parir

Enfermeiras obstetras – Fernanda Caxias Florentino Serrano, Danielle Tenório, Andressa Rodrigues, Claudia Santana

Médico responsável pela VCE – Celso Nakamura